Petrini

VISTOS PARA EMPREENDEDOR

Vistos para empreendedor em Portugal

Vistos para empreendedor em Portugal

O Visto para empreendedores e trabalhadores independentes quadruplicou em Portugal em apenas dois anos (de 2015 a 2017) 1 , de acordo com o Relatório Estatístico Anual de 2018, do Observatório das Migrações.

As estatísticas de 2018 ainda não foram divulgadas, entretanto verifica-se a tendência de significativo acréscimo.

Este tipo de visto, denominado D2, está previsto na Lei n° 23/2007, de 4 de julho, e suas respectivas alterações, e pode ser emitido em consulados portugueses no mundo todo.

Para pedir tal visto, se faz necessário apresentar documentação pessoal e a documentação relativa à constituição da empresa. Adicionalmente, é necessária a apresentação de um plano de negócios, que é um estudo previamente feito para garantia e manutenção do sucesso de um determinado empreendimento.

Nele, se faz planejamento de recursos e uma boa gestão prévia do negócio, analisando a melhor estratégia de atuação até que se verifique a estabilidade econômica do empreendimento. Toma-se em consideração, principalmente, o negócio a ser executado, a localidade de atuação e o capital disponível para investimento.

Além disso, para uma mudança estruturada de todos os envolvidos e também para pedido de visto, também é preciso comprovar que há planejamento no âmbito pessoal, e que há uma estratégia financeira para translado de toda a família.

O pedido de visto deve ser feito ou no país de origem ou no país de residência legal, e o prazo máximo de apreciação é de 90 dias.

O visto é emitido apenas ao titular, permitindo somente a entrada regular em território nacional, com validade de apenas 120 dias. Em Portugal, o titular pedirá um documento chamado “título de residência”. É este documento que permitirá, finalmente, a residência legal em Portugal.

Este documento, também, permite a solicitação do Reagrupamento Familiar, que é a inclusão de familiares diretos como dependentes do titular da residência, legalizando toda a família em território nacional.

Fale conosco! – info@petrinidemoraes.com.br

Alguma dúvida? Fale conosco

Áreas de Atuação em Portugal

Vistos para morar em Portugal

Vistos para morar em Portugal

Para morar legalmente em Portugal o passo mais importante da etapa é requerer um visto de residência.

Visto de Rendimentos

Visto de Rendimentos

O visto de residência D7, destinados aos possuidores de rendimentos (ex. aplicações, dinheiro em poupança, etc).

Visto para Empreendedor

Visto para Empreendedor

Se faz necessário apresentar documentação pessoal e a documentação relativa à constituição da empresa.

Visto para Aposentados

Visto para Aposentados

Destinados aos aposentados, reformados ou pensionistas, previsto na Lei n° 23/2007 de 4 de julho.

Visto Gold

Visto Gold

Muito se ouve falar em Visto Gold, o nome popular dado a Autorização de Residência para Investimento (ARI).

Tech Visa

Tech Visa

Este visto é destinado aos profissionais altamente qualificados em uma empresa na área de tecnologia.

Circulação no Espaço Schengen

Circulação no Espaço Schengen

Os países europeus estão unidos por dois acordos distintos, com distintas finalidades: o Espaço Schengen e a União Europeia.

Reagrupamento Familiar em Portugal

Reagrupamento Familiar

Este visto é destinado aos profissionais altamente qualificados em uma empresa na área de tecnologia.

Abertura de empresa

Abertura de empresa

De acordo com o Observatório Infotrust, o número de empresas em Portugal em 2018 teve uma elevação de 11,05%.

Equivalência de Diploma em Portugal

Equivalência de Diploma em Portugal

Em 16 de agosto de 2018 foi publicado o Decreto-Lei n° 66/2018, que define novas regras para reconhecimento de diploma estrangeiro em Portugal.

TOP